Missão: Lua – 21.Dez.2018

O dia hoje, amanheceu assim:

Para o final da manhã o nevoeiro tinha-se dissipado e o Sol apareceu em força. Veremos se o nosso calhau logo vai ficar escondido nas nuvens ou se também consegue furá-las…

Lua de Hoje

Em que lua estamos?

Lua Crescente

A lua de hoje está 97.79% visível e está a crescer. Faltam 1 dias para a fase Lua Cheia.

Distância da Lua à Terra: 373.658.09 km
Idade da Lua: 13.36 dias
Fase da Lua: Crescente
Próxima fase da Lua: Lua Cheia
Visibilidade da Lua: 97.79%

 
21122018@20:51







[vasaioqrcode]
 

Missão: Lua – 20.Dez.2018

Lua de Hoje

Em que lua estamos?

Lua Crescente

A lua de hoje está 93.18% visível e está a crescer. Faltam 2 dias para a fase Lua Cheia.

Distância da Lua à Terra: 378.243.71 km
Idade da Lua: 12.28 dias
Fase da Lua: Crescente
Próxima fase da Lua: Lua Cheia
Visibilidade da Lua: 93.18%

 

Hoje, com céu um pouco mais limpo mas com uma certa nebulosidade, a sessão foi mais artística que propriamente astronómica dado que nesta fase, todos sabem que fotografar o nosso calhau, as crateras não têm relevo dada a forte iluminação solar. Por isso, fica um slideshow de uma série de imagens que tirei, utilizando os cinco filtros da Nikon e depois as que se puderam aproveitar em ordem ao tempo. Talvez mais logo, quando o calhau passar por cima do prédio e surgir do outro lado, em posição, tente outra sessão mas com o Mak 127/1500.


20122018@19:48









[vasaioqrcode]
 

Missão: Lua – 19.Dez.2018

EM ACTUALIZAÇÃO

Lua de Hoje

Em que lua estamos?

Lua Crescente

A lua de hoje está 86.57% visível e está a crescer. Faltam 3 dias para a fase Lua Cheia.

Distância da Lua à Terra: 383.131.60 km
Idade da Lua: 11.24 dias
Fase da Lua: Crescente
Próxima fase da Lua: Lua Cheia
Visibilidade da Lua: 86.57%

 
19122018@18:42

Céu com bastantes nuvens, perceptíveis nas imagens a seguir, tiradas ao nosso calhau:







Como não sei como estará mais logo o céu, ficam aqui imagens de fim de tarde de hoje, tendo já chovido.









[vasaioqrcode]
 

Missão: Lua – 18.Dez.2018

Lua de Hoje

Em que lua estamos?

Lua Crescente

A lua de hoje está 78.49% visível e está a crescer. Faltam 4 dias para a fase Lua Cheia.

Distância da Lua à Terra: 388.034.53 km
Idade da Lua: 10.23 dias
Fase da Lua: Crescente
Próxima fase da Lua: Lua Cheia
Visibilidade da Lua: 78.49%

 
18122018@18:02

Com um dia de chuva, ter uma abébia destas, não chamarei de “milagre”, mas um bom bocado de sorte. Tanta, que nem tinha o equipamento montado quando fui à porta do meu backyard e vi o nosso calhau a surgir por entre nuvens carregadas. Como não tinha nada a perder, levei apenas o tripé fotográfico, esperando que o calhau surgisse por entre as espessas nuvens e saíram estas imagens:







19122018@00:02

2ª. sessão com céu mais limpo e equipamento devidamente montado na EQ 3-2:








[vasaioqrcode]
 

Missão: Lua – 17.Dez.2018

Lua de Hoje

Em que lua estamos?

Lua Crescente

A lua de hoje está 69.46% visível e está a crescer. Faltam 5 dias para a fase Lua Cheia.

Distância da Lua à Terra: 392.681.55 km
Idade da Lua: 9.26 dias
Fase da Lua: Crescente
Próxima fase da Lua: Lua Cheia
Visibilidade da Lua: 69.46%

 
17122018@18:05

Céu nebuloso como podem verificar-se nas imagens de DF mais curta, captadas no backyard.









O dia hoje, nasceu assim:




[vasaioqrcode]
 

Missão: Lua – 16.Dez.2018

Lua de Hoje

Em que lua estamos?

Lua Crescente

A lua de hoje está 59.91% visível e está a crescer. Faltam 6 dias para a fase Lua Cheia.

Distância da Lua à Terra: 396.836.48 km
Idade da Lua: 8.32 dias
Fase da Lua: Crescente
Próxima fase da Lua: Lua Cheia
Visibilidade da Lua: 59.91%

 
16122018@23:37

Com tele-objectiva Samyang 500mm


Com tele-objectiva Samyang 500mm + Conversor 2x Dörr (1.000mm)

16122018@17:42

Do meu backyard, ainda com luz de dia e céu limpo, consegui captar estas imagens do nosso calhau, com a Nikon B500. Quando o nosso calhau passar para o ,outro lado do prédio (é o que faz residir numa cidade com muitos prédios e excesso de poluição ambiental e luminosa), farei um teste comparativo com a Canon 760D e a tele-objectiva Samyang catadióptrica de 500mm e depois com o conversor 2x Dörr para 1.000mm.









16122018@12:55 a.m.
Céu com nuvens mas Sol a descoberto.



[vasaioqrcode]
 

Missão: Lua – 14.Dez.2018

Lua de Hoje

Em que lua estamos?

Lua Crescente

A lua de hoje está 40.72% visível e está a crescer. Faltam 1 dias para a fase Quarto Crescente.

Distância da Lua à Terra: 402.959.76 km
Idade da Lua: 6.51 dias
Fase da Lua: Crescente
Próxima fase da Lua: Quarto Crescente
Visibilidade da Lua: 40.72%

 
14122018@19:44

Céu quase limpo, com alguma nebulosidade que se traduz em muita luminosidade em DF’s curtas. Quando se estica a DF, o contraste é melhorado. Equipamento montado na habitual EQ32 com tripé de aço da EQ5, dovetail e contrapeso Baader Planetarium de 1 kg.










[vasaioqrcode]
 

714: Missão: Lua -13.Dez.2018

Lua de Hoje

Em que lua estamos?

Lua Crescente

A lua de hoje está 31.64% visível e está a crescer. Faltam 2 dias para a fase Quarto Crescente.

Distância da Lua à Terra: 404.695.26 km
Idade da Lua: 5.62 dias
Fase da Lua: Crescente
Próxima fase da Lua: Quarto Crescente
Visibilidade da Lua: 31.64%

 

Ontem não pudemos ver o nosso calhau porque esteve sempre a chover. Aquela chuva miudinha “molha-parvos” que não parou nem deu uma abébia para se ver uma nesga de céu. Hoje, parece que vai pelo mesmo caminho, embora o Sol esteja presente de vez em quando e logo que há CHUVA DE ESTRELAS

13122018@17:26: Vai ser mesmo difícil logo, quer para sacar umas imagens ao nosso calhau, quer para ver a chuva de estrelas… O tempo não está a ajudar… e já esteve a chover novamente…



13122018@18:13

Com um ângulo extremamente difícil, no beiral da janela e com um mini-tripé Genesis com rótula de bola (e para este tipo de trabalho muito pouco preciso em grandes DF’s), consegui numa nesga de céu aberto, apanhar o nosso calhau. Valeu a precisão da Nikon. Não sei é se a nesga vai continuar para observar as Gemínidas mais logo… Mas já não perdi a noite… Mas se não conseguir, aqui fica o link para logo e ao vivo, observarem:


Por enquanto, ficamos com o nosso calhau:




13122018@19:20

Uma hora depois da sessão anterior e já com um ângulo de captação mais confortável, além da câmara estar instalada na montagem EQ-32 com tripé de aço da EQ5, mais estável e com movimentos ultra-suaves, foram captadas as imagens seguintes.





O setup do equipamento para esta sessão:





[vasaioqrcode]
 

713: Olhe para o céu esta noite. Há chuva de estrelas

– Como era de prever, além do céu parcialmente encoberto, a excessiva poluição luminosa de Lisboa, não permite o “luxo” de podermos observar seja o que for…

… isto, se o céu deixar, o que em Lisboa não vai parecer muito provável com as nuvens que se desenham no horizonte e a noite passada de chuva contínua…

A noite de hoje, quinta-feira, para amanhã, será a melhor altura para ver a chuva de meteoros das Gemínidas. Observatório Astronómico de Lisboa recomenda “evitar a poluição luminosa das grandes cidades e procurar um horizonte desimpedido”.

Imagem de arquivo
Foto REUTERS / DADO RUVIC

A chuva de estrelas das Gemínidas, ou seja, a chuva de meteoros das Gemínidas, que começou no dia 4 de Dezembro e vai durar até à próxima segunda-feira, pode ser vista com mais intensidade na madrugada desta sexta-feira.

Mas o Google fez hoje questão de celebrar aquilo que é comummente referido como “chuva de estrelas” com um doodle, que explica que o fenómeno ocorre quando a Terra cruza a órbita de um cometa. No caso das Gemínidas, o fenómeno vem não de um cometa mas de um asteróide, o Faetonte (que vem de Phaethón, filho de Hélios, deus Sol).

Como explica o Observatório Astronómico de Lisboa (OAL), são “os ‘detritos’ deixados por este asteróide os responsáveis pelo enxame de meteoros visível anualmente entre 4 e 17 de Dezembro: o enxame das Gemínidas. O nome deste enxame resulta dos traços das suas estrelas cadentes nos parecerem sair dum ponto da constelação dos Gémeos (o radiante).”

As recomendações do OAL para quem quer assistir ao fenómeno e não se importa de perder horas de sono nas próximas noites são os seguintes: “evitar noites nubladas, a poluição luminosa das grandes cidades e procurar um horizonte desimpedido”.

A observação do pico das Gemínidas, informa ainda o OAL, “ocorre no dia 14 [amanhã] pelas 12h30, com o número bastante elevado de 120 meteoros por hora. Não será possível observar o seu pico porque ocorre durante o dia.”

Em breve terá lugar ainda outra chuva de meteoros, provocada pelo cruzamento da Terra com a órbita do Cometa Tuttle: a das Úrsidas, que decorre anualmente entre 17 e 26 de Dezembro. O OAl avisa que “o dia 22 de Dezembro, é o pico de intensidade máxima desta chuva. O número de estrelas cadentes observado não é muito elevado, apenas de 10 meteoros por hora.” Contudo, a observação será dificultada pelo facto de a lua estar em fase de Lua Cheia.

Diário de Notícias
13 Dezembro 2018 — 11:28



[vasaioqrcode]