1116: FEELWORLD T7 7″ 4K On-camera Monitor

Já chegou o monitor mas ainda não tive oportunidade de o testar junto com os telescópios até porque o estado do tempo não tem permitido sessões fotográficas minimamente razoáveis.

Contudo, em visualização terrestre, o resultado foi fantástico, ou seja, uma excelente imagem, comandos acessíveis, valeu o investimento.

Avatar

 

1113: 5 dicas para fotografar a lua

Enquanto você pode tirar boas fotos da lua com uma lente de câmara normal, uma lente maior que 300 mm ajudará a preencher o LCD da câmara com a lua. No entanto, lentes extremamente longas são muito caras e desnecessárias para a maioria dos fotógrafos.

Em vez de pagar por uma teleobjectiva, você pode optar por uma alternativa menos dispendiosa e tirar fotografias da lua através de um telescópio. Sim, os telescópios também podem ser muito caros, mas bons resultados podem ser obtidos com um smartphone, um telescópio barato e um pouco de paciência.

Fotografia de telescópio afocal

O método mais barato de tirar fotografias através de um telescópio é chamado de afocal. Isso significa que você foca o telescópio no objecto que deseja fotografar e depois aponta a câmara para a ocular para tirar a foto.

Este método funciona bem para apontar e disparar câmaras e smartphones. É altamente dependente do tamanho da ocular do seu telescópio. Quanto maior a ocular, mais fácil será apontar a câmara e evitar o efeito de vinheta (uma moldura preta suave ao redor da imagem).

A parte mais complicada do método afocal é manter tudo estável.

Dica: Prime Focus Telescope Photography

Um método um pouco mais caro é chamado de foco principal. É fácil, mas requer alguns acessórios.

Você precisará de um anel em T e um adaptador em T compatíveis com sua câmara e o seu telescópio. Estes permitirão que você ligue a sua câmara directamente ao telescópio sem a lente ou a ocular.

Este método permite um foco mais nítido e gasta menos tempo alinhando a câmara com o telescópio para cada foto.

5 dicas de fotografia telescópio

Não importa qual método você escolha, há algumas coisas que você deve ter em mente ao fotografar através de um telescópio.

Distância Mínima de Focagem

Uma lente de câmara não pode focar um objecto que esteja mais próximo do que a sua distância mínima de foco. Uma pequena lente de comprimento focal (por exemplo, 50 mm) pode focar tipicamente em objectos mais próximos do que uma lente com uma maior distância focal (por exemplo, 150 mm). A lente menor será mais fácil de usar em conjunto com o telescópio porque você pode aproximá-la da ocular. Se a sua lente tiver uma configuração macro, isso ajudará a reduzir a distância mínima de foco também.

Foco manual

Se a sua câmara tiver foco manual, use-a. Isso ajudará você a obter uma imagem mais nítida através do telescópio. Câmaras de lente menores, como smartphones, geralmente lidam com o auto-foco bem. Câmaras de lente maiores, como as DSLRs, veem um pouco da área ao redor da ocular e terão problemas ao usar o auto-foco.

Shake De Obturador

Se o seu telescópio não for grande e pesado, o movimento do obturador na câmara poderá causar trepidação ao usar o método de foco principal. Isso pode resultar numa foto desfocada. Você pode minimizar isso com um bom suporte para a câmara ou usando um comando de cabo ou de um disparador remoto wireless. Você também pode diminuir o seu ISO e aumentar o tempo de abertura do obturador para que haja um tempo de gravação mais estável para dominar o tempo que ele treme.

A Lua em Movimento

Quanto maior a ampliação, mais aparente será o movimento da lua na sua fotografia. Se você tiver um telescópio de 1000 mm e um conversor 2x na sua câmara, o movimento da lua pode ser aparente em apenas alguns segundos. Experimente os tempos de exposição para ver o que funciona melhor para a sua configuração específica.

Exposição

Não há problema em sub-expor um pouco a lua. Mesmo com a luz perdida através do telescópio, a lua é tão brilhante comparada ao céu ao seu redor que a câmara pode expor demais a lua enquanto ela tenta iluminar o céu.

 

Avatar

 

1109: 06.Dez.2019

Lisbon, Portugal — Moonrise, Moonset, and Moon Phases, Dezembro 2019

 

Moon: 74.0%

Waxing Gibbous

Current Time: 6 de Dez de 2019, 21:29:37
Moon Direction: 203,03° SSW
Moon Altitude: 48,61°
Moon Distance: 402.578 km
Next Full Moon: 12 de Dez de 2019 5:12
Next New Moon: 26 de Dez de 2019 5:13
Next Moonset: Tomorrow 2:42

Avatar

 

1107: Extensor SW 2″ a rosca T

Mais um pequeno acessório para utilizar no refractor ou no newton para back focus com a DSLR. Deve chegar na próxima segunda-feira, dia 9.

• extensão de 40mm
• entrada de 2″ macho
• saída em T
• rosca interna de 48mm

Avatar

 

1073: Fixação de contrapeso na barra da montagem equatorial EQ3-2

 

Um dos contrapesospesos da montagem equatorial do telescópio (o maior) começou a deslizar pelo suporte e embora possua um “travão” no final, é mau porque provoca desequilíbrio no conjunto telescópio-montagem.

O bloco de plástico no final do parafuso de aperto já não tem aderência suficiente para fixar o contrapeso à barra e então, como não vendem os parafusos, arranjei forma de segurar o contrapeso sem que ele possa deslizar.

Dá um pouquinho mais de trabalho, mas é apenas uma questão de apertar um parafuso… Por isso, se alguém estiver na condição em que referi, compre uma abraçadeira deste tipo, proceda previamente ao equilíbrio da montagem e no final, na parte debaixo do contrapeso que estiver a deslizar, coloque a abraçadeira bem apertada. Remédio completo!

Para a minha SW EQ3-2, utilizei a abraçadeira mais pequena da imagem (20mm). Pode ser é que nem todos as barras de contrapeso tenham o mesmo diâmetro… Esta, tem ∅18mm





 

1060: Skywatcher Enhanced Dual-Axis Motor Drive for EQ3-2 Mount

 

Quem anda por estas bandas da astronomia amadora, sabe que uma montagem equatorial sem motorização é como ter de puxar uma carroça sem o burro… Ou seja, a motorização é manual, através dos cabos slow motion para o rastreamento no eixo DEC  e o rastreamento no eixo AR. Para fotografia, a imagem final, se for em vídeo, fica aos “soluços” por força destes movimentos manuais por muito suaves que sejam. Como resolver então esta situação?

Para a minha montagem equatorial Skywatcher EQ3-2, existem alguns modelos de motores para o efeito: um que já escolhi (Skywatcher Enhanced Dual-Axis Motor Drive for EQ3-2 Mount) por ser um sistema económico (€ 159,00) e que desenvolvo a seguir e um sistema Pro SynScan GoTo computorizado, muito mais caro (€ 559,00) que o primeiro sistema e necessitando de um portátil e especialmente condições de observação que não possuo e que seria um desperdício completo de investimento.

Este equipamento será muito útil não só para fotografia lunar via Canon EOS 760D, Nikon D500 como para a câmara Bresser WiFi, colocando sempre no centro do visor o calhau que pretendo fotografar.

Assim, o sistema preferido é este:

Skywatcher Enhanced Dual-Axis Motor Drive for EQ3-2 Mount

Especificações:

Capacidade

Movido a pilhas sim
Velocidades do motor 0,5x, 2x, 16x
Apropriado para … Montagem EQ-3-2
Velocidades de rastreio solar, lunar, sideral

Especialidades

Conexão do auto guia sim
Rastreamento no eixo DEC sim
Rastreamento no eixo AR sim
Controle de mão sim
Troca entre hemisférios norte e sul sim

Diversos

Tipo de pilha Mono (D, LR20) (4 peças)

Agora com Multi-Speed Handset de velocidade múltipla e interface ST4 Autoguider.

Este accionamento de motor de eixo duplo com o novo controlador manual aprimorado da Sky-Watcher é essencial na astro-fotografia de longa exposição, além de um acessório útil para astronomia visual. Controla com precisão a velocidade de rastreamento dos telescópios para compensar a rotação da Terra durante a longa exposição de objectos celestes.

O novo aparelho avançado possui uma interface ST4 para um Auto-Guider, como o Synguider do Sky-Watcher. Apresenta taxas de rastreamento SOLAR, LUNAR e SIDERAL seleccionáveis, além de taxas de ajuste seleccionáveis ​​adicionais de 0,5x, 2x e 16x.

Além disso, o controlador manual possui uma facilidade conveniente para inverter a direcção das teclas do comando para CIMA, BAIXO, ESQUERDA, DIREITA, para que você possa ter as mesmas instruções no comando que vê através do seu telescópio. Projectado para uso nos hemisférios norte e sul.

O accionamento do motor CC funciona com 4 pilhas “D” (não incluídas). Os motores para ambos R.A. e eixos DEC, cabos do motor, controlador manual aprimorado e bateria estão incluídos.




 

Equipamentos – pesquisa

 
Gosto de passear pela Net, pesquisando matéria que me interessa, neste caso, astronomia e fiquei com um apontamento para:

Omegon Ritchey-Chretien Pro RC 154/1370 OTA

TS Optics Ritchey-Chretien RC 152/1370 OTA


Vou ter de aprofundar mais as características destes equipamentos.




 

1009: Colimador laser GSO PRO colimável

 
ACTUALIZAÇÃO EM 07102019
Chegou o colimador GSO que é bem pesadito! Boa construção, ainda não o testei mas logo possa, vou fazê-lo.
04102019

Pedi hoje a uma empresa espanhola este artigo dado que não aprecio o trabalho do colimador laser da Orion que tenho. Além disso, este colimador da GSO é colimável o que se traduz num benefício excelente.

Ajustável em 3 pontos para direccionar o seu feixe de luz quando estiver fora de ajuste. Os colimadores económicos, se vierem com o feixe desviado, são jogados fora. Em vez disso, este colimador permite ajustes para centralizá-lo novamente. PRO porque a sua qualidade em comparação com um colimador não ajustável é claramente maior.

O Colimador a laser GSO PRO é exactamente o mesmo que o Bresser pro. A GSO fabrica para outras marcas. Com uma marca própria, apresenta esta linha PRO, inteiramente feita de aço, com um interruptor de aço e três baterias incluídas.

O mais robusto e preciso do mercado. É um colimador válido para reflectores (Newton ou Dobson) que não colimam catadióptricos. De facto, os catadióptricos, mesmo que sejam anunciados, não possuem colimadores válidos, colimam manualmente.

Em princípio chega para a semana já na altura, se o tempo o permitir, de utilizá-lo no Bresser Messier NT ∅150/750mm, na fase lunar de quarto minguante.



Um vídeo do Javier Molina de Astrocity.es que ensina como colimar um colimador laser, neste caso, o modelo GSO Pro que comprei.

… e já agora, como colimar um telescópio newtoniano…




 

970: Equipamentos

Desde que me aventurei nesta área, mesmo sabendo de antemão não possuir as mínimas condições para observar planetas, nebulosas, galáxias, etc., desde muito novo que tinha um imenso fascínio prelo Espaço, pelas estrelas, pela Lua, por aqueles pontinhos muito brilhantes que poderiam ser Saturno, Júpiter ou Vénus…

Já numa idade em que o que a maioria quer é “sopas e descanso”, pretendi saciar a minha curiosidade, pelo menos ver a Lua mais perto de mim, sem ser aquele disco branco conforme as respectivas fases, já que o resto ficaria para as calendas.

Afortunados os que residem no campo, com céu limpo, sem poluição luminosa ou ambiental, com uma área de 360º de observação…!

Mesmo com todas as contrariedades que nenhum astrónomo amador deseja, decidi-me a comprar um telescópio, pelo menos para observar a Lua e assim, embora que mal informado por quem deveria ter mais cuidado já que detalhadamente informei ao que ia, comprei um Skywatcher Catadióptrico 90/1000mm
com um tripé em alumínio que nem para uma câmara fotográfica com tele-objectiva seria aconselhável dada a sua instabilidade. Passado pouco tempo pedi a troca por um tubo mais potente, perdi 30% do investimento inicial, fiquei sem tripé porque ao fim de dois meses, os apertos das patas empenaram e sem uma única saída para o campo! Tudo em casa, quer no backyard, quer na janela da frente do prédio!

Por sorte, um professor de informática do Norte, também astrónomo mas avançado, colocou à venda um tripé em aço para a montagem equatorial EQ5 que também era compatível com a minha EQ3-2 e assim, por metade do preço e em óptimo estado, sem um arranhão, fiquei com um excelente tripé, bem pesadinho, estável e a funcionar.

E na troca efectuada, veio um Skywatcher Maksutov-Cassegrain ∅127/1500mm. Um excelente tubo, que me delicia ainda hoje quando aplico oculares de 9mm ou 42mm, diagonal dieléctrica de 2″ (tive de adquirir um adaptador da 1,25″ para 2″ para poder instalar a diagonal e a ocular GSO CPL de 42mm) mas… há sempre um mas. Comecei a pesquisar na Net os diversos tipos de telescópios e embora ainda fosse um autêntico nabo em astronomia, mais tarde arrisquei a comprar um refractor.

Escolhi um Bresser Messier AR ∅102/1000mm por ser compatível não só com a EQ3-2 como com o meu orçamento. Mas não me dei muito bem com o mangano que ainda hoje está arrumado aos pés da cama. Tudo isso por causa do foco que não consegui apanhar, pese o facto de ter experimentado com e sem anéis de extensão e ter comprado um anel T2 de baixo perfil para a DSLR.


 

Assim, só me faltava testar um newtoniano. E li várias opiniões sobre este tipo de telescópio com a desvantagem de ter de ser colimado com frequência, coisa que não acontece nem com o refractor nem com o catadióptrico. Mas arrisquei e fui novamente para um Bresser Messier NT ∅150/750mm f/5 dado que aproveitaria o Gear Set 1:10 do refractor para instalar no newtoniano e assim poder usufruir da focagem de alta precisão em astro-fotografia.

E assim fiz, veio o newton, já trabalhei com ele embora possa apenas desfrutar em condições quando a fase lunar se encontra visível do lado traseiro do prédio (backyard).

Feitas todas estas experiências, cheguei à conclusão que dos 3 tipos de telescópios, o melhor resultado foi sempre obtido com o SW Maksutov ∅127/1500mm, por isso e numa próxima oportunidade, penso estar bastante inclinado para um Skywatcher Maksutov-Cassegrain ∅150/1800nn f/12.






 

877: 11.Jun.2019

 

Moon Phases 2019
– Lunar Calendar for Lisbon, Portugal (Lisboa)

 

Moon: 68.0%

Waxing Gibbous

Current Time: 11 de Jun de 2019, 20:51:06
Moon Phase Tonight: Waxing Gibbous
Full Moon: 17 de Jun de 2019, 9:30 (Next Phase)
First Quarter: 10 de Jun de 2019, 6:59 (Previous Phase)
11062019@23:58










[vasaioqrcode]