1067: Observar o Trânsito de Mercúrio em Segurança

Tal como todas as observações que implicam olhar para o Sol, tem de seguir as regras de segurança apropriadas, que são descritas aqui.

Durante o trânsito, o planeta apenas tapa a luz solar na nossa direcção, aparecendo como um pequeno disco negro em frente ao disco solar.

NÃO é possível observar o trânsito de Mercúrio através dos filtros solares oculares!

Um objecto só é perceptível se o seu diâmetro angular aparente for maior do que o limite de resolução angular α do instrumento de observação. Este limite é dado por α=1,22 λ/D onde λ é o comprimento de onda da luz (0,5 μm para a cor verde, onde está a máxima intensidade solar) e D é o diâmetro da abertura do sistema óptico. O diâmetro da pupila é D≈2 mm durante o dia, dilatando para D≈6mm à noite. Nestas condições o limite de resolução angular do olho humano numa observação diurna é α= 63”. Como o diâmetro angular de Mercúrio é de 12″ < 63″, é impossível observá-lo directamente.

Assim, de nada serve usar os filtros solares oculares (os conhecidos “óculos de eclipse”) para tentar ver o trânsito solar deste planeta.

Pode observar o trânsito de Mercúrio através dum telescópio equipado com filtro objectivo solar adequado!

O pequeno tamanho angular implica a utilização dum sistema óptico com pelo menos 1 cm de diâmetro para se poder ver o pequeno disco negro do planeta sobre o Sol. Porém, como o disco solar é 158 vezes maior do que o diâmetro angular de Mercúrio, o planeta só é bem visível com recurso a ampliação óptica.

Para o observar recomenda-se a utilização dum telescópio com uma ampliação de 50x a 100x. Porém, a objectiva deve ser tapada com um filtro solar adequado (VER AQUI), que deve ser adquirido em lojas da especialidade. Os requisitos visuais e fotográficos para o trânsito são idênticos aos da observação de manchas solares e de eclipses solares parciais.

PREFIRA a observação do trânsito de Mercúrio pelos métodos de Projecção

A maneira mais acessível de observar o trânsito de Mercúrio é projectar a imagem do Sol através de binóculos para um cartão branco. Um segundo cartão com um furo pode ser colocado em frente da ocular, o que melhora o contraste da imagem projectada. A imagem solar no cartão alvo aparecerá branca com o pequeno ponto negro de Mercúrio (semelhante a uma mancha solar). A mesma técnica de projecção pode naturalmente ser utilizada com um telescópio refractor.

OU, dirija-se a um local onde haja observações do trânsito de Mercúrio por pessoas qualificadas e responsáveis.

OAL – Observatório Astronómico de Lisboa
5 Nov 2019




 

236: Sessão lunar 22.Dez.2017

 

18:30 horas, céu limpo, um pouco de frio, Lua a 17%.

 

 









A imagem seguinte é uma foto do Sol captada apenas com o filtro solar.





[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=1831]

[powr-hit-counter id=d18101bc_1513972255964]

 

210: Sessão solar 04.Dez.2017

Portugal, em pleno Dezembro, tem um Sol de fazer inveja, embora o “briol” também esteja em alta! Para testar o novo filtro solar, saquei uns bonecos, embora não disponha de filtros ópticos solares (muuuuuito caros) e que ainda não estão ao alcance do meu orçamento, por isso, vou contentando-me com estas imagens…



As imagens acima foram captadas com um redutor focal TS 0.5x 2″ o que permitiu “encaixar” o Sol no campo visual da câmara, ou seja, a DF do tubo óptico passou de 1500mm para 750mm.

A imagem seguinte foi captada sem redutor focal e apenas se pode ver parte do Sol.


Filtro solar 130mm


Imagens obtidas com:

  • Câmara Canon EOS 760D
  • Telescópio Skywatcher Mak 127/1500mm
  • Montagem Equatorial SW EQ3-2
  • Ocular GSO SuperView Camera Project Lens 42mm 2″
  • Prisma cenital dieléctrico GSO 2″
  • Filtro Polarizador variável
  • Filtro solar TS Baader 130mm
  • Redutor de focal 0.5x  TS 2″


[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=1831]

[powr-hit-counter id=f0b1c393_1512408781244]

 

209: Acessórios para o Mak 127

 
(em actualização…)

Hoje, foi dia de visita a Mestre Raimundo da Astrofoto para tirar dúvidas e tentar resolver os problemas que têm apoquentado a minha paciência (que não é nada santa).

Trouxe um filtro solar para o Mak (este sim, é um filtro solar a sério), um redutor de focal 0.5x de 2″, uma dovetail de 33cm para adaptar a rótula de bola com a Canon ao tripé da montagem  equatorial (depois coloco imagens), 3 anéis extensores e substituição do adaptador da diagonal dieléctrica a rosca Schmidt-Cassegrain.

Com isto tudo:

01.- Consegui que a diagonal ficasse firme ao tubo e não balanceasse como antes, devido ao anel adaptar rosca ETX-S/C não entrar completamente no adaptador;

02.- Já posso sacar fotografias ao Sol sem receio que o filtro solar artesanal caísse ao chão e desse cabo da óptica e do sensor da Canon. O Mak 127 já possui um filtro solar TS Baader 130mm;

03.- Vou experimentar o resultado do redutor de focal para metade, ou seja, o tubo de 1500mm ficará como se fosse um 750mm;

04. Com a dovetail instalada na montagem equatorial, já não danifico o rail SIRUI nos parafusos de aperto da montagem;

05.- Quanto aos anéis extensores, são para testar com a câmara acoplada directamente ao tubo.

Filtro solar 135mm


Ocular GSO CPL 42mm 2″ com redutor de focal 0.5x


Conjunto ocular, diagonal, redutor, já instalados


(em actualização)

O dovetail serve para não danificar o rail SIRUI dado que este possui escalas gravadas e os parafusos de aperto da montagem EQ3-2 iriam riscar essas escalas. Serviu na perfeição como pode ver-se nas imagens seguintes, para suportar quer a câmara com a tele-objectiva 500mm, quer a da imagem, uma Samyang 650-1300mm:





[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=1831]

[powr-hit-counter id=921d610b_1512397230146]

181: Sessão solar 14.Nov.2017

Mais umas fotos ao Sol, cerca das 15:30 horas, das quais escolhi esta:

Com filtro solar artesanal (quando puder, vem um filtro “a sério”…)

Imagens obtidas com:

  • Câmara Canon EOS 760D
  • Telescópio Skywatcher Mak 127/1500mm
  • Montagem Equatorial SW EQ3-2
  • Ocular NPL 25mm Vixen 50º MC
  • Filtro Polarizador variável
  • Filtro solar artesanal

Dada a DF do tubo (1500mm), não consigo “encaixar” o objecto, neste caso o Sol, no enquadramento da câmara. Espero, quando chegar a ocular CPL 42mm 2″, possa aumentar o campo de visão e diminuir o tamanho dos objectos a fotografar, ou sejam, a Lua e o Sol, porque não dá para mais nada no lugarejo onde resido (Lisboa).

Gostaria de saber se alguém conseguiria fazer uma observação minimamente satisfatória nestas condições logísticas:

escarpa do lado esquerdo



corredor de observação com PL do lado dos prédios (candeeiros da rua)



[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=1831]

[yasr_visitor_votes size=”medium”]

[powr-hit-counter id=bed30518_1510674296775]

 

106: Sessões solar e lunar 23.Set.2017

Terminada a sessão solar, daqui a pouco será a vez da lunar. Por enquanto, fica a imagem do Astro-Rei.

a seguir virá a lunar…

Clique na imagem para aumentar


Clique na imagem para aumentar


Clique na imagem para aumentar


Clique na imagem para aumentar





Com Powermate Televue 2,5x


Com Powermate Televue 2,5x


Com Powermate Televue 2,5x


Com Powermate Televue 2,5x


Com Powermate Televue 2,5x


Com Powermate Televue 2,5x


Com Powermate Televue 2,5x


… e termino com uma foto artística…


 
[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=30]

[yasr_visitor_votes size=”medium”]

[powr-hit-counter id=2763ad15_1506184402193]

 

103: Fotografando o Sol

Ainda não está como gosto dado que o Sol estava baixo, mas vou tentando até atingir o que pretendo. Hoje, fico-me com este boneco:



[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=30]

[yasr_visitor_votes size=”medium”]

[powr-hit-counter id=b62f25a8_1506106156412]

 

102: Filtro solar e Televue Powermate 2.5x

Na visita que hoje fiz à Astrofoto, encontrei um filtro solar para o Mak 127 que poderão ver nas imagens seguintes. Também trouxe a lente Powermate 2.5 da Televue (Barlow) e tentei fazer uma imagem ao Sol mas este já estava muito baixo e amanhã vou tentar nova captação.









[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=30]

[yasr_visitor_votes size=”medium”]

[powr-hit-counter id=6b397af6_1506103370706]

 

94: Fotografia solar

No passado dia 24 de Agosto, ainda com o meu antigo telescópio SW Mak 90/1250, tirei várias fotografias ao Sol entre elas, que considero a melhor da série, foi a que insiro de seguida.


Mas atenção que fotografar o Sol não pode ser feito directamente seja com um telescópio ou uma teleobjectiva sem a protecção de um filtro solar apropriado como o que eu utilizei, sempre antes da objectiva do telescópio e nunca na ocular dado que poderá danificar o equipamento.

Claro que é um filtro básico, pois as imagens em que vemos as manchas Solares, protuberâncias, filamentos, granulação, etc., são obtidas com filtros caríssimos, da ordem de mais de 500 euros e são denominados de filtros H-alfa.

Mas já fiquei satisfeito com o resultado desta imagem com um filtro que custou (para o Mak 90/1250) cerca de € 25,00…

Agora, estou à espera de um filtro solar para o telescópio Mak 127/1500 porque quando não houver Lua, sempre se pode apontar ao Sol…


 

[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=30]

[yasr_visitor_votes size=”medium”]

[powr-hit-counter id=dc9eac5e_1505758402706]

 

Sessão experimental solar – 24.Ago.2017

Muito difícil, nas condições que disponho e com este equipamento, testar o filtro solar mas aqui fica a tentativa. Quando chegar o próximo equipamento, com ∅127mm (este tem ∅90mm), talvez consiga melhor.

CUIDADO!!! Não tente fotografar o Sol sem a protecção de um filtro solar dado que o sensor da câmara ficará danificado ASSIM COMO OS SEUS OLHOS



Imagens acima tiradas com o Telescópio SkyWatcher Mak 90/1250
Com o mesmo filtro solar, testei o mesmo tema com a tele-objectiva Samyang 500mm com conversor 2x Dörr (1000mm) e o resultado foi este:




Mais logo vem a Lua…

[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=30]

[yasr_visitor_votes size=”medium”]

[powr-hit-counter id=0f753e8c_1503594027637]