237: Sessão lunar 23.Dez.2017

 

Céu limpo, alta PA+PL, testes com acessórios e resultados práticos. Lua a 25% crescente.










As imagens a seguir foram captadas com a ocular GSO CPL ∅42mm 2″ de projecção.



As imagens a seguir foram captadas com uma série de adaptadores, tubo de extensão, ocular CPL ∅42mm, Powermate Televue 2,5x (Barlow), mostrados na última imagem desta série.




Configuração utilizada nas 3 imagens anteriores:


… e como estamos no Natal… uma Lua vermelhinha…





[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=1831]

[powr-hit-counter id=4de40396_1514059388386]

 

201: Engenhocas

 

Tenho bons tripés fotográficos, aliás, a um deles devido a possuir um gancho na coluna central, adaptei os contra-pesos da montagem equatorial EQ3-2 a este tripé com um vídeo que aqui publiquei, o que faz estabilizar a câmara quando utilizada com tele-objectivas de grande porte como as minhas Samyang de 500mm e de 650-1300mm.

Mesmo assim, não me dou completamente satisfeito com a solução e olhando para as montagens fotográficas que possuo, pensei utilizar o Quick Release Plate Sirui TY-350 na EQ3-2 dado que o tripé desta montagem, não sendo dos mais estabilizados, possui maiores condições de equilíbrio para utilizar este tipo de conjunto câmara-tele-objectivas.

E dado o tipo de configuração Arca-Swiss (fotograficamente falando) do rail, este ajustou-se perfeitamente onde encaixa a dovetail do tubo óptico. E o resultado é este:



Contudo, esta cabeça de rótula Genesis ABH-36 (máx. 10Kg), será substituída por uma Sirui K-30X que “aguenta” com uma carga máxima de 30Kg.



[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=1831]

[yasr_visitor_votes size=”medium”]

[powr-hit-counter id=2296a7a9_1512056345089]

 

152: Acessórios improvisados

 

Actualização 25/10/2017:

Recebi hoje informação da empresa que me enviou a máscara de Bahtinov numa embalagem toda encarquilhada (directamente da Alemanha) que: “realmente a caixa não chegou em boas condições, quando for assim o melhor será rejeitar“. A “sorte” é que uma caixa enorme como aquela, serviu de “amortecedor” às cacetadas que deve ter levado pelo caminho ou à chegada a Lisboa… Quanto ao papel que envolve as duas faces da máscara, fui informado que: “esse autocolante é para sair, é para não riscar a peça no transporte, pode deixar ficar para conservar melhor, fica ao seu critério“. Consegui retirar o papel auto-colante de uma das faces, ficando a outra face com o papel para “protecção”.

Quanto ao sistema de encaixe no tubo óptico, estas 3 peças são mais “elegantes” que as que “inventei” para a outra máscara (de metal e mais forte, dado que esta é de plástico). Mesmo assim, ainda comprei 3 anilhas porque considerei que a porca ficava muito justa no encaixe e podia saltar:

Como aproveitar os contra-pesos de um telescópio para fazer as mesmas funções mas num tripé fotográfico?

Quem anda pela fotografia digital, sabe que existem alguns modelos de tripés que possuem no final da coluna central, um gancho que serve para prender um saco com areia ou pedras a fim de estabilizar o tripé no exterior, quando tem de utilizar-se tempos longos.

Ora, quem possuir também um telescópio, pode aproveitar os contra-pesos dele para fazer o mesmo efeito, apenas juntando um parafuso hexa, uma porca hexa e um olhal fêmea e está feita a obra.

Aproveitei os contra-pesos da montagem equatorial SW EQ3-2 para os adaptar a um tripé fotográfico – sempre que necessite de o utilizar com as tele-objectivas de 500, 650, 1000, 1300 e 2600mm – e assim estabilizar mais as oscilações mesmo utilizando comando remoto para disparar a câmara.





E o vídeo referente a este arranjo artesanal:


[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=1831]

[yasr_visitor_votes size=”medium”]

[powr-hit-counter id=6ab9d044_1508883297164]