1158: O céu nocturno de Fevereiro em 2020

Todos os planetas visíveis a olho nu podem ser observados no céu nocturno de Fevereiro de 2020

Mercúrio será visível ao anoitecer até dia 22 na constelação de Aquário. Encontra-se na direcção Sudoeste.  A sua magnitude no inicio do mês varia de -1,2 a 2,1. Consulte aqui toda a informação sobre a “Observação de Mercúrio” e sobre a “Visibilidade de Mercúrio em 2020”.

Vénus será visível ao anoitecer na constelação de Peixes. Encontra-se na direcção Sudoeste. A sua magnitude no inicio do mês varia de -3,9 a -4,1.

Marte será visível ao anoitecer na constelação de Ofiúco, , movendo-se depois para a constelação de Sagitário, a sua tonalidade avermelhada auxiliará a sua identificação. Encontra-se na direcção Sudeste. A sua magnitude ao longo do mês varia de 1,4 a 1,1.

Júpiter será visível ao amanhecer na constelação de Sagitário. Encontra-se na direcção Sudeste. A sua magnitude ao longo do mês varia de -1,9 a -2,0.

Saturno será visível ao amanhecer na constelação de Sagitário. Encontra-se na direcção Sudeste. A sua magnitude ao longo do mês varia de 0,6 a 0,7.

Fig. 1 – Céu visível às 19:00 horas do dia 1 de Fevereiro em Lisboa mostrando o planeta Vénus.

Fig. 2 – Céu visível às 06:30 horas do dia 15 de Fevereiro em Lisboa mostrando os planetas Saturno, Júpiter e Marte.

Tabela do nascimento, passagem meridiana e ocaso dos planetas.

Úrano e Neptuno também visíveis no céu nocturno de Fevereiro

Úrano, estará visível na constelação de Peixes e Neptuno estará visível na constelação de Aquário, onde permanecerá durante todo o resto do ano. Os planetas Úrano e Neptuno terão de ser observados com telescópio, já que nunca são visíveis à vista desarmada.

Para obter mais informação sobre a “Visibilidade dos Planetas” consulte no nosso site a página Almanaques/Dados de 2020/ Visibilidade dos Planetas em 2020 e consulte também a tabela Nascimento, Passagem Meridiana e Ocaso dos planetas (Lisboa).

Como é bem conhecido, as fases da lua são determinadas pelas posições relativas do sistema sol-lua-terra. À medida que a Lua se move à volta da Terra, ambos os astros progridem à volta do sol, ocorrendo todos os meses Lua Cheia quando há um alinhamento do tipo Sol–Terra–Lua. A Lua Nova ocorre quando há um alinhamento do tipo Sol–Lua–Terra e nas posições intermédias ocorrem o Quarto Crescente e Quarto Minguante. O período que a Lua demora para passar pela mesma fase é de 29,5 dias, conhecido como mês sinódico (ou uma lunação).

Fig. 3 – A órbita lunar com excentricidade aproximada, para mostrar o conceito.

Para obter mais informação sobre as “Fases da Lua” consulte no nosso site a página Almanaques/Dados de 2020/ Fases da Lua e consulte também a tabela Nascimento, e Ocaso da Lua (Lisboa).

A órbita lunar em Fevereiro

A órbita da Lua é aproximadamente uma elipse de excentricidade média 5,5%. A lua demora 27,3 dias a completar a translação (um mês lunar). A órbita elíptica faz com que a Lua ora esteja mais perto, ora mais longe da Terra. O ponto orbital mais próximo da Terra é denominado Perigeu e o ponto mais afastado chama-se Apogeu. A distância média Terra-Lua é <dTL>= 384.400 km. A tabela abaixo indica os instantes do apogeu e perigeu lunar com a distância da Terra à Lua em unidades de RT (Raio Terrestre).

Fig. 4 – A órbita lunar com excentricidade muito exagerada, para mostrar o conceito.

Tabela com a informação sobre o Apogeu e Perigeu lunar

Para obter mais informação sobre o “Apogeu e Perigeu lunar” consulte no nosso site a página Almanaques/Dados de 2020/ Apogeu/Perigeu lunar e consulte também a tabela Apogeu/Perigeu lunares e distâncias Terra-Lua.

OAL – Observatório Astronómico de Lisboa
31 Jan 2020

Avatar

 

1042: Oculares




 

905: 16.Jul.2019

16072019:22:00 (actualização)

E como se previa, céu totalmente coberto por nuvens, sem hipótese de ver o calhau. Felizardos dos que estavam em locais com céu limpo.

Hoje, vai poder ver o eclipse parcial da Lua

(CC0/PD) biancamentil / pixabay
Eclipse parcial da Lua


… e deve ser mesmo com o céu deste jeito, às 18:30 horas…

 Lisbon, Portugal — Moonrise, Moonset, and Moon Phases
Julho 2019

 

Moon: 100.0%

Near Full Moon (Waxing Gibbous)

Current Time: 16 de Jul de 2019, 18:50:15
Moon Direction: 101,14° E
Moon Altitude: -22,94°
Moon Distance: 398.465 km
Next Full Moon: 16 de Jul de 2019 22:38
Next New Moon: 1 de Ago de 2019 4:11
Next Moonrise: Today 20:55



[vasaioqrcode]
 

A Lua de hoje – 16.Set.2018

Em que lua estamos?

Lua Crescente

A lua de hoje está 44.94% visível e está a crescer. Faltam 0 dias para a fase Quarto Crescente.

Distância da Lua à Terra: 398.317.02 km
Idade da Lua: 6.91 dias
Fase da Lua: Crescente
Próxima fase da Lua: Quarto Crescente
Visibilidade da Lua: 44.94%

 

16092018@23:57: e antes de deitar-me ainda fui espreitar à janela e a Lua estava a desaparecer no horizonte com esta magnífica cor:


16092018@22:16: Céu limpo, muito seeing, sessão com Nikon e Mak 127/1500 identificadas nas imagens a seguir, foco primário:














[vasaioqrcode]
See also Blogs Spacenews and Lab Fotográfico

614: Sessão de Observação astronómica 28/09/2018

OFIUCO – Associação de Divulgação da Astronomia

AVISO » Sessão de observação astronómica nocturna no próximo dia 28/9/2018 (6ª feira), a partir das 21.00h, no átrio do MUSEU DO QUARTZO (Viseu), com a colaboração da OFIUCO; tragam os vossos binóculos e telescópios!!!



[vasaioqrcode]
See also Blogs Spacenews and Lab Fotográfico

A Lua de hoje – 05.Set.2018

05092018@06:30am: céu carregado de nuvens com algumas breves abertas. Foram essas abertas que permitiram a sessão (muito fraca) de hoje, já com alguma luz de dia.

Em que lua estamos?

Lua Decrescente

A lua de hoje está 24.50% visível e está a decrescer. Faltam 4 dias para a fase Lua Nova.

Distância da Lua à Terra: 364.311.11 km
Idade da Lua: 24.66 dias
Fase da Lua: Decrescente
Próxima fase da Lua: Lua Nova
Visibilidade da Lua: 24.50%










[vasaioqrcode]
See also Blogs Spacenews and Lab Fotográfico

A Lua de hoje – 02.Set.2018

Em que lua estamos?

Lua Decrescente

A lua de hoje está 57.26% visível e está a decrescer. Faltam 1 dias para a fase Quarto Minguante.

Distância da Lua à Terra: 373.342.77 km
Idade da Lua: 21.46 dias
Fase da Lua: Decrescente
Próxima fase da Lua: Quarto Minguante
Visibilidade da Lua: 57.26%

 











[vasaioqrcode]

[powr-hit-counter id=859fc28f_1535889011739]

See also Blogs Spacenews and Lab Fotográfico

535: Os “deuses romanos” no céu de Julho: planetas ao telescópio


Aspecto do céu sobre Lisboa na direcção sul a 27 de Julho de 2018. Fonte: Stellarium (stellarium.org)

Nesta noite de verão,  desfrute da vista nocturna sobre o céu a sul, a partir do terraço do Teatro Romano, em Lisboa, na companhia de investigadores do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA).

Veja ao telescópio planetas que até hoje trazem o nome de deuses romanos: o planeta Júpiter e as suas maiores luas, Saturno, e também Vénus será visível no início da noite.

Nesta noite ocorre ainda um eclipse lunar total, pois a Lua ficará imersa na sombra da Terra durante cerca de 1h e 45m. Poderá apreciar a sua cor avermelhada até às 23h19, assim como ver em detalhe as crateras do nosso satélite natural.

Descubra por fim que as estrelas, muitas delas com nomes atribuídos pelos astrónomos árabes, não são todas iguais, e converse com investigadores do IA sobre as mais recentes descobertas no estudo do sistema solar.

Divulgação também no website do Museu de Lisboa – Teatro Romano.

Notas:

  • A realização da actividade está sujeita a condições meteorológicas e atmosféricas favoráveis, que poderão ser só conhecidas no próprio dia até às 14h.
  • Recomendado a partir dos 3 anos.

Duração:

2 horas

Entrada livre

Localização

Museu de Lisboa – Teatro Romano
Rua de São Mamede, Nº 3 A,
Lisboa

– Espero que tenham bons céus dado que ultimamente é um tiro no escuro programar observações astronómicas com antecedência…
[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=1831]

[powr-hit-counter id=703c13a3_1532262118642]

See also Blog

Noites no Observatório – "Planeta Terra – catástrofe em câmara lenta"

Público

Planetário Calouste Gulbenkian – Centro de Ciência Viva
Praça do Império, Belém, Lisboa, Portugal

Sábado, 24 de Fevereiro às 21:30 – 0:30
De 24/2 às 21:30 até 25/2 às 0:30

Informações do bilhete
divulgacao.iastro.pt

“Planeta Terra – catástrofe em câmara lenta”, por João Lin Yun, do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço e da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.
Apesar de ter acesso gratuito, a actividade requer uma inscrição obrigatória em:
http://divulgacao.iastro.pt/pt/inscricoes/
A confirmação de presença no Facebook não é considerada como inscrição.

NÃO venha a esta palestra! Ela terá tudo aquilo que você NÃO quer ouvir.
O estado de emergência planetária foi declarado, mas como consumidores, viciados em combustíveis fósseis, tornamos cada vez mais provável a catástrofe que se aproxima e que tornará impossível a civilização humana tal como a conhecemos.
João Lin Yun irá expor os riscos reais que a espécie humana enfrenta antes do meio do século e de que não se fala. Se vier a esta palestra, faça-o por sua conta e risco! Poderá não sair dela intacto!

A sessão terá início com a palestra às 21:30. Haverá depois um pequeno espectáculo de música e efeitos na cúpula do Planetário. As observações astronómicas decorrerão em contínuo ao longo da noite, até às 24:00, se as condições meteorológicas o permitirem.
É necessário consultar a seguinte página para mais informações acerca da actividade:
http://divulgacao.iastro.pt/pt/evento/noites-no-observatorio-planeta-terra-catastrofe-em-camara-lenta/
As Noites no Observatório são organizadas pelo Instituto de Astrofisica e Ciências do Espaço, em parceria com o Planetário Calouste Gulbenkian – Centro de Ciência Viva.
#NoitesNoObservatório
[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=1831]

[powr-hit-counter id=db1f8a30_1518444609313]