Por-da-Lua – 26082018@06:24am

Há uns tempos atrás, sem querer, fui à janela para ver o tempo e na mesma fase da Lua em que hoje se encontra e no mesmo horário (06:32am), deparei-me com belíssimas imagens que tratei logo de captar e que até serviram para o logo deste Blogue e do Blogue Spacenews.

Hoje, a sequência de imagens foi maior, pese o facto de existir um enorme seeing (¹) atmosférico o que se traduz nas imagens que parecem estar desfocadas. Mas o tema é fantástico, aliado à cor da Lua avermelhada – não é nenhuma Lua de Sangue -, mas o por-da-Lua já de madrugada e com o Sol a despertar no horizonte. Fica o registo desta sessão extra:

– (¹) Seeing: fenómeno provocado pela turbulência atmosférica é a cintilação, que é a variação ao longo do tempo da intensidade da luz que chega ao observador. Esta mudança de intensidade é devida à variação rápida da direcção do feixe de luz oriunda da fonte luminosa. O seeing, por sua vez, está associado a variações na posição, na forma e no tamanho das imagens das estrelas. (in Wikipedia)












[vasaioqrcode]

[powr-hit-counter id=6ffe6583_1535283778448]

484: Perspectivas fotográficas

 

Um fotógrafo, seja ele amador, profissional, desportivo, de eventos sociais, da natureza, astro-fotógrafo ou de outras áreas, tem de possuir uma dose extra de paciência para poder captar os momentos mais relevantes do assunto que escolheu como alvo na sua sessão fotográfica.

Exceptuando os repórteres de guerra que além de terem de possuir nervos de aço e não poderem estar à espera do momento exacto para dispararem as suas câmaras, têm de fazer sequências rápidas da acção e depois escolher as que melhor consideram para o seu objectivo. Já fui repórter de guerra e sei do que falo.

Assim como também já fui fotógrafo de eventos sociais (casamentos, baptizados, aniversários, encerramentos de congressos, desportivos), de captação da natureza, por isso também sei do que falo, neste caso, do que escrevo.

Esta madrugada (03:00am) e ao reparar na coloração e posição da Lua no horizonte (por-de-lua) que até serve actualmente de logotipo dos meus trabalhos fotográficos e que consegui há dias numa das raras boas situações climáticas, captei uma fantástica imagem quase às 04:00am mas em fase de Lua Cheia, com o disco mais redondo. Hoje e porque a Lua ainda não atingiu completamente os 100%, apenas consegui, do mesmo ângulo embora com obstáculos pela frente (antena de TV e telhados de prédios baixos) outra excepcional imagem de por-de-lua onde se podem ver os ramos das árvores na zona onde ela se escondeu.

Vou tentar novamente hoje, amanhã e depois, entre as 03:30 e as 04:00am, poder captar o mesmo por-de-lua mas com o disco completamente cheio, embora o ângulo de captação não esteja tão bom como da primeira vez dada a rotação da Terra.

Não tenho de justificar os trabalhos que faço mas para quem pensa que estas imagens são uma foto-montagem, desiluda-se porque são planos únicos e a prova são as imagens captadas de dia, com o cenário que serviu a este por-de-lua. Mas primeiro insiro umas imagens de teste com as densidades de cor dadas pela própria Nikon B500 no momento da captação:






O mastro da antena de TV e as telhas de um prédio baixo do lado direito, são as manchas que surgem nas imagens do por-de-Lua. A seta indica onde a Lua se pôs.


A seta indica o local onde a Lua se pôs.





[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=1831]

[powr-hit-counter id=1f3c3516_1529841086715]