421: Bresser

 

Actualização em 02/05/2018: no passado dia seg 23/04/2018 09:30, enviei o e-mail a seguir transcrito à Bresser:

  • Thomas Rülke (Thomas.Ruelke@bresser.de)
  • Bresser GmbH (info@bresser.de)
  • Bresser.de (orders.shop@bresser.de)

Good morning

On the 10 th, I sent the email below claiming to have received the viewfinder with two scratches and no ink, a complaint that I had previously made when the order was received and later, without any response, which is serious .

Do I have to turn to the European Consumer Protection authorities to solve such a simple case?

Thanks

Até hoje, dia 02 de Maio, não mereci a resposta desta empresa alemã de telescópios e afins (Bresser), o que demonstra claramente que nem mencionando a eventual reclamação à European Consumer Protection authorities, têm qualquer tipo de interesse em solucionar a minha mais que justificada reclamação, demonstrando inequivocamente desprezo pelo cliente. Faço aqui este alerta para quem pretender comprar directamente à Bresser, tenha em atenção o desprezível serviço pós-venda, tal e qual foi referenciado pelo meu amigo espanhol que possui uma loja de artigos para astronomia e que deixou de comprar a esta empresa alemã pelos mesmos motivos.

Ainda em ordem ao tema que levou ao meu total descontentamento como a Bresser conduziu o meu processo de reclamação pelo facto de o refractor Bresser-Messier AR ∅102/1000mm não focar com a câmara DSLR, recebi uma informação de um técnico espanhol na área de astrofotografia e astronomia sobre a Bresser que deixou de comprar à Bresser dado que o pós-venda é uma desgraça. Está tudo dito.


O lanho (tubo raspado sem tinta) que o viewfinder tinha quando chegou, dando mostras de ter sido utilizado e que, depois de reclamado à Bresser, nem se dignaram dar qualquer resposta… Aliás, aparte esta anomalia, este viewfinder é uma merda autêntica.




[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=1831]

[powr-hit-counter id=48606ca5_1524219358433]

 

351: Livro de Reclamações Electrónico

(actualização em 09/03/2018)

Depois daqueles infrutíferos 25 minutos de música e mensagens dados pelos CTT Express, e de ter desligado a chamada, voltei a ligar pelas 17:45, na expectativa de ser atendido. Estive até às 18:10 a ouvir mais música e mensagens (25 minutos) mas alguém, do outro lado da linha, fez o “favor” de atender-me. E então explicaram-me que o pacote com o refractor tinha sido entregue nos CTT Express MARL, em São Julião do Tojal, pelas 12:05 do dia 1 de Março e entregue à DHL que faria seguir o pacote para a Alemanha.

Até aqui, pelo menos, já deixei de parte a hipótese de extravio. Hoje, contactei a DHL (211 127 207), mas parece que as empresas agora também pretendem ganhar uns trocos com as chamadas dos clientes e mandaram-me ligar para o 707 103 060 mas com mais sorte que nos CTT Express porque atenderam de imediato. E fiquei a saber (finalmente!) que o pacote tinha chegado hoje à Alemanha mas ainda não teria sido recepcionado pelo destinatário.

OITO DIAS DE LISBOA À ALEMANHA??? Será que o pacote foi transportado numa carroça puxada por um burro???

(fim da actualização de 09/03/2018)

Sou cliente habitual deste serviço, porque se ele existe é para ser utilizado. E utilizado principalmente quando nos sentimos prejudicados com qualquer tipo de serviço que não é prestado nas devidas condições.

E quando se trata de uma empresa que presta um serviço público, neste caso, os CTT Expresso, então o caso torna-se mais grave porque estar VINTE E CINCO MINUTOS à espera (infrutiferamente) para ser atendido por um número de valor acrescentado (707 262 626), é uma mostra de total incompetência desses serviços.

Pretendia saber onde para a minha expedição para a Bresser/Alemanha do refractor Bresser-Messier AR 102/1000, enviado a 26 de Fevereiro e que, segundo informação chegada (finalmente) hoje por e-mail, da Bresser, ainda não chegou ao seu destino.

O teor da minha reclamação foi este:

Hoje, dia 08 de Março de 2018, liguei para os CTT Expresso (707 262 626), estive das 15:05 até às 15:30 horas a ouvir música e mensagens e desisti porque considero VINTE E CINCO MINUTOS um tempo de espera inadmissível numa empresa de serviço público e para um número telefónico de valor acrescentado.

Claro que, como habitualmente, esta reclamação vai dar em nada, mas já pedi à minha filha para passar pela loja dos CTT onde o pacote foi deixado para envio, para conseguir algum tipo de informação sobre onde para o refractor, já que telefonicamente apenas serve para os CTT ganharem mais uns trocos, quando este deveria ser um número gratuito e não de valor acrescentado.


[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=1831]

[powr-hit-counter id=64c9bea7_1520525290666]

151: Sessão lunar 24.Out.2017

 

Antes de iniciar a reportagem da sessão lunar de hoje, lamento o facto de ter recebido hoje, da Alemanha, uma máscara de Bahtinov – a que estava à espera há mais de uma semana -, com uma embalagem incrivelmente martelada (parece ter levado um pontapé ou coisa parecida) e um produto que, tendo custado € 31,00, nem metade desse preço vale. Ficam as imagens do deplorável acontecimento:



E a máscara de Bahtinov em plástico – a outra que mandei vir de Espanha é em metal, embora tivesse de efectuar adaptação para segurar ao tubo Mak 127 -, mas esta que veio hoje revestida com papel que não sei se é para tirar porque não o consegui fazer (estou à espera que a empresa em Portugal me diga como é):

Uma autêntica miséria em termos de qualidade e de sistema de logística, quer na origem, quer na transportadora (e este artigo veio directamente da Alemanha, embora seja made in China!). Mas vamos às imagens de hoje, divididas pelo Mak 127 e pela teleobjectiva fotográfica Samyang 500mm:











[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=1831]

[yasr_visitor_votes size=”medium”]

[powr-hit-counter id=bcbe3cac_1508878319235]